A felicidade no lugar errado!


Não adiantam os livros de autoajuda que ensinam como alcançar a felicidade se o segredo está mesmo no amor e no carinho do ambiente familiar. Entre as grandes preocupações da nossa atualidade, estão a violência e o aumento assustador do consumo e tráfico de entorpecentes entre a nossa população jovem. Acontece que a maioria da população pensa que esses atos ocorrem devido à miséria, à marginalização a que estão sujeitas as pessoas que não possuem recursos financeiros ou à falta de cultura.
Hoje, sabemos que, entre a maioria dos indivíduos, também se encontram pessoas de classe média e alta, adolescentes e jovens que, muitas vezes, tiveram a oportunidade de frequentar ótimas escolas e hoje possuem conta bancária, cartão de crédito e carro do ano, mas, ainda assim, desconhecem o aconchego de um lar e não entendem o real sentido das palavras amor e carinho.
Há um consenso entre os especialistas no assunto em apontar como responsável uma crise que abala a instituição familiar. Jovens desorientados, sem responsabilidade, sem qualquer diálogo com os pais, sem noção clara do certo e do errado e sem o calor familiar são candidatos fáceis à violência urbana.
A sociedade atual reconhece essa situação, os especialistas estudam o tema, a imprensa divulga as estatísticas e a vida continua. Mas só os pais, que um dia se uniram pelo casamento com a intenção de educar os filhos e que passam por situações difíceis com eles, sabem dessa infelicidade. Esses jovens, sem responsabilidade e que procuram a felicidade no lugar errado, tornam seus dias uma perigosa rotina.
A solução para combater este aumento de infelicidade não se encontra em manual algum, mas sim na própria família.
Para os pais que hoje enfrentam momentos como esses, de incerteza e tristeza, não é tarefa fácil encontrar o ponto de equilíbrio e de harmonia entre a vida profissional e a vida familiar, entre o peso e a responsabilidade compartilhados pelo casal para educar os filhos e rodeá-los de carinho, e a necessidade de responder com competência às exigências do mercado e do trabalho profissional. Imaginamos que isso não é fácil, mas todos sabem que é possível encontrar esse ponto. É nesta harmonia e neste equilíbrio que se encontra a felicidade.
Em uma família, todos querem ser felizes juntos e ao mesmo tempo. A felicidade de um pai e de uma mãe de família está intimamente ligada à felicidade de seus filhos. É condição indispensável da felicidade do filho sentir-se querido, amado e escutado. Não há felicidade parcial, solitária ou egoísta. É na família, no espelho de vida dos pais, que os filhos aprenderão os valores e os comportamentos necessários para a vida em sociedade.