Alma aprendiz!


Vivemos um tempo em que as pessoas dominam as questões gerais do mundo através de suas conquistas e realizações, mas não dominam os imensos territórios da sua alma. Vivemos um tempo em que as pessoas dizem amar seus semelhantes, porém, são indiferentes aos que realmente sofrem. Quantos exemplos cada um já viveu no seu cotidiano que mostram atos de insensibilidade travestidos de normalidade? Quantas vezes fomos cúmplices de pessoas intolerantes e tivemos que abaixar a cabeça para conservadores e deixar de colaborar com a diminuição das dores do mundo?
De fato, estamos precisando de uma transformação interior muito forte para conseguirmos ter olhos de bondade, seja afetiva ou moralmente. Precisamos ter sempre em mente que, tanto na vida pessoal quanto profissional, um dos fatores mais importantes para a sua transformação interior é o exemplo.
Você convive em família ou em seu trabalho com pessoas muito diferentes, certo? Uns melhores, outros piores! E você já deve saber que a igualdade de sentimentos e conhecimentos jamais existirá. Então, transformar-se interiormente é também saber aprender a lidar com essas diferenças. Aprender a lidar com essas diferenças para alcançar a tão necessária transformação interior exige compreender que aqueles que são melhores que você devem servir de modelo para o tipo de pessoa ou profissional que você quer ser.
Por isso, aprender todas as lições com a própria experiência inclui você ter a humildade de aprender também com a experiência alheia. Este é o verdadeiro caminho! Desse modo, observe o padrão de pensamentos daqueles que você considera sábios e procure ser o melhor que puder, sempre respeitando o direito dos outros de escolherem seu próprio modo de viver. De fato, os exemplos falam e marcam muito mais que as palavras. No entanto, não seja uma pessoa abarrotada de teorias e vazia de amor. Por que, daí, você terá muita pose para pouco valor.
Mais que nunca, precisamos de consciência e de humildade suficientes para fazer da nossa vida um verdadeiro caminho de luz por onde a gente passar. Por fim, neste momento, há de se ressaltar que só seremos pessoas melhores quando, nesta vida, soubermos, pelo menos, sorrir para o semelhante por mais diferente que ele possa ser ou pensar. Vamos deixar de lado aquela velha ideia que prega a individualidade, a intolerância, a brutalidade, a arrogância e tantos sentimentos que só nos enfraquecem enquanto seres humanos de bem.
Quer exemplo maior que as últimas eleições trouxeram? Quantos exemplos de desrespeito você presenciou, praticou ou foi vítima? Neste período, vimos muitas pessoas julgarem e acusarem as outras porque elas pensavam diferente. Será que é assim que queremos evoluir? Pisando e humilhando o outro só por ter opiniões distintas?