Câncer de mama pode ser percebido em fase inicial


Postura atenta das mulheres em relação à saúde dos seios é fundamental, já que para este ano são esperados 59.700 novos casos no Brasil

Durante este mês, o movimento Outubro Rosa alerta para o câncer de mama, que é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. Atualmente, o câncer de mama responde por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade, a incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam o aumento da incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento.
Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros, não. A maioria dos casos tem bom prognóstico. No entanto, para este ano, foram estimados 59.700 novos casos de câncer de mama no Brasil.
A doença pode ser percebida em fases iniciais, na maioria dos casos, por meio dos seguintes sinais e sintomas: nódulo (caroço) fixo e geralmente indolor, que é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela mulher; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito (mamilo); pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço e saída de líquido anormal das mamas.
Postura atenta das mulheres em relação à saúde das mamas, que significa conhecer o que é normal em seu corpo e quais as alterações consideradas suspeitas de câncer de mama, é fundamental para a detecção precoce da doença.
MAMOGRAFIA – Para mulheres entre 50 e 69 anos, a indicação é que a mamografia de rastreamento seja realizada a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas.
O Sistema Único de Saúde (SUS) garante a oferta gratuita de exame de mamografia às mulheres brasileiras em todas as faixas etárias. A recomendação, por parte dos médicos, é que a avaliação seja feita antes dos 35 anos somente em casos específicos.
Para o tratamento de câncer de mama, o SUS oferece todos os tipos de cirurgia, como mastectomias, cirurgias conservadoras e reconstrução mamária, além de tratamentos paliativos e os tradicionais, conforme cada caso, como a radioterapia, a quimioterapia e a hormonioterapia.
Tratamento é feito por meio de uma ou várias modalidades combinadas, cirurgia, quimioterapia ou radioterapia. O médico vai escolher o tratamento mais adequado de acordo com a localização, o tipo do câncer e a extensão da doença.
Em casos de suspeita, procure sempre uma avaliação com médico.
AUTOEXAME – A realização do autoexame das mamas é recomendada para todas as mulheres maiores de 20 anos. O autoexame é feito após sete dias do início da menstruação. Após a menopausa, deve-se escolher um dia por mês para fazê-lo.
Em frente ao espelho:
Posicione-se em frente ao espelho;
Observe os dois seios, primeiramente com os braços caídos;
Coloque as mãos na cintura fazendo força;
Coloque-as atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma do mamilo;
Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção.
Em pé:
Levante seu braço esquerdo e apoie-o sobre a cabeça;
Com a mão direita esticada, examine a mama esquerda;
Divida o seio em faixas e analise devagar cada uma dessas faixas. Use a polpa dos dedos e não as pontas ou unhas;
Sinta a mama;
Faça movimentos circulares, de cima para baixo;
Repita os movimentos na outra mama.
ORIGEM – Na década de 1990, nasceu o movimento conhecido como Outubro Rosa, para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. Data é celebrada, anualmente, com objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama e promover a conscientização.