“Confissões Médicas” terá o cirurgião-cardíaco dr. Fábio Gaiotto


O canal Discovery Brasil anuncia para 7 de novembro, às 20h30, a estreia da nova série Confissões Médicas. Nela, seis renomados profissionais revelam suas angústias, seus dilemas e situações inusitadas que marcaram e transformaram suas vidas e carreiras.
Segundo a produção, esses casos reais serão reconstituídos a partir de relatos surpreendentes nesta série realizada em coprodução entre a Discovery Brasil e a Boutique Filmes.
No episódio de estreia, o cerquilhense e renomado cirurgião-cardíaco dr. Fábio Gaiotto, filho do saudoso Antonio Gaiotto (Tonão) e Virma Ana Brandolize Gaiotto, interpretado pelo ator Claudio Fontana, relembrará um transplante de coração que foi um marco não apenas para ele, mas para a Medicina brasileira.
Na ocasião, será mostrado o paciente com insuficiência cardíaca grave, que apresentava uma condição fisiológica rara em que os órgãos estão em posição invertida no corpo. Diante da impossibilidade de encontrar um doador nas mesmas condições, doutor Fábio Gaiotto enfrentou o desafio de realizar um transplante com um coração normal, a única chance de garantir a sobrevivência do paciente.
Assim, doutor Fábio Gaiotto vai revelar o medo que precedeu a cirurgia, as hipóteses e planos que ele imaginou e as dificuldades técnicas que só se revelaram em sua totalidade quando o paciente já estava com o tórax aberto. As artérias invertidas, o encaixe difícil e as decisões sem precedentes que o cirurgião-cardíaco teve de tomar durante o procedimento fariam deste transplante o primeiro realizado em um paciente adulto no mundo.
Ao Departamento de Jornalismo do Nossa Folha, o marido de Patricia Helena Lima Gaiotto e pai de João Antonio e Eva Lucia disse que a intenção do programa é mostrar a rotina médica, suas ansiedades, seus medos, suas inseguranças e pressões.
“A produção de ‘Confissões Médicas’ chegou a mim em virtude do meu trabalho na USP e por eu ser cirurgião de referência para casos muito complexos que envolvem o tratamento cirúrgico da insuficiência cardíaca e transplante cardíaco”, acrescentou doutor Fábio Gaiotto.