Congelamento de sêmen preserva fertilidade


Segundo o CRHP, a reprodução humana garante aos pacientes com câncer a concretização da paternidade em algum momento da vida

O Centro de Reprodução Humana de Piracicaba (CRHP) participa do movimento Novembro Azul de conscientização sobre a necessidade da detecção precoce do câncer de próstata e, durante este mês, divulga a importância da preservação da fertilidade de homens com câncer por meio do congelamento de sêmen.
O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que, em 2018, haverá 68.220 novos casos de câncer de próstata no Brasil. Este é o segundo tipo de câncer mais frequente entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Quando determinado o diagnóstico em estágio inicial, o câncer de próstata tem acima de 90% de chance de cura. “Por isso, nos casos de diagnóstico do câncer, é importante que pacientes que desejam ter filhos, em algum momento da vida, recebam orientação do oncologista, em conjunto com um especialista em reprodução humana, sobre a possibilidade de preservar a fertilidade, com o congelamento de sêmen”, afirmaram os médicos Ernesto Valvano e Paulo Padovani, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba (CRHP).
Ambos destacaram que a radioterapia e a quimioterapia para o tratamento de diversos tipos de câncer podem provocar alterações importantes na fertilidade ou até infertilidade. Estudos demonstram que aproximadamente metade dos homens que se submetem à radioterapia e/ou quimioterapia para curar qualquer tipo de câncer fica infértil.
CONGELAMENTO – Valvano e Padovani informam que a preservação da fertilidade masculina pode ser feita por meio do congelamento de sêmen, que deve ser coletado antes do início do tratamento contra o câncer. “Tempo entre o diagnóstico da doença e o início do tratamento costuma ser suficiente para fazer a coleta”, ressaltaram.
“O sêmen é congelado em nitrogênio líquido, armazenado pelo tempo que for necessário em recipientes com isolamento térmico e poderá ser descongelado quando o homem decidir que é o momento de tentar ter filhos”.
MOVIMENTO – Novembro Azul surgiu no Brasil em 2012, visando diminuir o preconceito masculino com exames que detectam o câncer de próstata, especialmente o exame de toque. Durante o mês, são realizadas ações no País para lembrar que o câncer de próstata tem cura, desde que seja diagnosticado inicialmente.
Diagnóstico do câncer de próstata é feito por meio do exame de sangue que mede a quantidade do Antígeno Prostático Específico (PSA), uma proteína produzida pela próstata, e pelo exame de toque. Lembrando que um exame não exclui o outro. Caso haja alterações, o médico solicitará a biópsia.