Dema Giángiacomo


No passado, o futebol era um simples esporte praticado por centenas de pessoas. Hoje, em todo mundo, tornou-se um grande negócio financeiro.
Em Tietê, vi inesquecíveis atletas marcarem época. Cada um a seu modo. Cada um com uma qualidade. Muitos daqui não saíram. Já alguns chegaram à fama e foram merecidamente reconhecidos no passado.
Do esporte à vida profissional, hoje, quero, por mais uma vez, prestar homenagem a um jogador do passado e um dos melhores secretários municipais que Tietê já teve.
Na foto, ele aparece entre atletas espetaculares, como Laércio Beloto, Francisco Carlos Casagrande (Neno), Mário Caseto, Gilberto Carlos Neto, José Laerte Forlevize, Arnaldo Orsolini (Cadi), Ademir Torrezan, Otávio Beloto (Gambé), Airton de Almeida (Tartaruga) e Antonio José Pessato (Borghi).
Seu nome é Ademar Giangiácomo, o filho da dona Lucia Maria e seu Benedito, mas, na cidade, todos os conhecem por Dema Giangiácomo. Casado com Rosângela, tem duas filhas: Micheli e Vanessa. Atualmente, reside na Vila Justina.
Dema foi mão-direita na gestão do prefeito Ângelo Uliana, reconhecidamente como um dos melhores prefeitos da história de Tietê.
E como ontem, 8 de março, nossa Cidade Jardim completou 176 anos, dedico todos os aplausos a Dema, personagem da nossa história. Na Garagem Municipal, ele sempre mostrou sua capacidade e sua determinação no comando de uma equipe.
No futebol, Dema também apresentou seu brilho em equipes como AMA, Pingo no I, Regatas, Vidotto, entre outras.
Quero deixar um abraço para Sérgio Cinto, de Cerquilho, que não perde uma homenagem e faz aniversário nos próximos dias.
PIADINHA DA SEMANA – A mulher passava todo dia e falava: “Dá o pé, loro!”
Cansando de ouvir essa frase, o loro arrancou suas penas e ficou pelado.
No dia seguinte, a mulher passou, viu o loro e falou: “O que é isso, loro?”
-“Ah, estou cansado de dar só o pé”.