Dj Felipe Mello comemora fase de reconhecimento


Aos 33 anos de idade e 17 anos de carreira, o tieteense atua, a partir de agora, em eventos corporativos, casamentos, aniversários e formaturas

O nome dele de registro é Wingleston Felipe dos Santos Foltran, mas todos o conhecem por Felipe Mello. O Dj, nascido em 27 de dezembro de 1984, em Tietê, filho de Maria Lizethi dos Santos e Maximiano Foltran Junior (in memoriam), conta ao jornal Nossa Folha fatos sobre sua vida e carreira.

Nossa Folha – Quem é o Felipe Mello? Quais são suas origens?
Dj Felipe Mello – Natural de Tietê, sou uma cara ansioso e de gênio forte, mas com um coração mole (risos). Gosto de música desde os três anos. Não tenho uma preferência, sempre gostei de música boa. Venho de família humilde e meus pais sempre trabalharam para dar uma boa educação e vida digna.

Nossa Folha – O que ou quem o levou à música, quais são suas referências e o que mais ouve no celular, no carro e em casa?
Dj Felipe Mello – Na verdade, sempre gostei de música. Quando eu era criança, imitava a dupla Leandro & Leonardo (risos). Daí, aos 14 anos, fui a uma balada no Centro da cidade, aonde, pela primeira vez, acompanhei o trabalho de um Dj . Foi ali que começou o interesse. Não tenho uma referência única, mas quem começou a me inspirar na época que comecei a ser Dj foi Fatboy Slim.
Geralmente, quando estou em casa ou no carro, ouço um pouco de tudo: pop, samba, sertanejo, black, entre outros.

Nossa Folha – Ser apontado como uma das apostas desta geração na região te deixa com algum tipo de responsabilidade ou sua carreira é tocada de forma natural? E que tipo de reconhecimento você espera e onde deseja chegar?
Dj Felipe Mello – Afirmar que hoje o nome Felipe Mello não tem um peso é mentira. Na verdade, levo isso de forma natural, mas sinto uma grande responsabilidade sim. Quando um cliente me contrata, ele espera do “Felipe Mello” uma festa inesquecível.
Hoje, estou com 33 anos de idade e 17 anos de carreira, e não tenho mais aquele sonho de ser um Alok, um David Guetta ou Vintage Culture. Hoje, estou focado 80% em eventos corporativos, casamentos e festas em geral.

Nossa Folha – De qual apresentação tem boas recordações? Como você sente a aceitação do público?
Dj Felipe Mello – Foi em 2006 quando toquei as cinco noites de Carnaval em um camarote em Palmas, no Tocantins. Foi uma sensação incrível e inesquecível!
Outra recordação boa também foi na Adventure no ano de 2012, quando toquei junto  de uma orquestra do Conservatório de Tatuí. Outra experiência inesquecível!
Acredito que a aceitação do público de antes, de hoje e de amanhã seja a mesma de sempre, ou seja, tocar música que está na boca do povo e na rádio, música pop, mainstream.

Nossa Folha – Conte-nos tudo sobre a participação em eventos e casamentos em São Paulo.
Dj Felipe Mello – Em 2008, firmei parceria com uma empresa de som e luz de Piracicaba. Foi quando tudo começou! Comecei a tocar nos eventos corporativos e nos casamentos mais tops e badalados do Estado de Sao Paulo. Hoje, tenho reconhecimento incrível na região e boa afinidade com as cerimonialistas e empresas de eventos. Estou completando 10 anos no ramo de eventos corporativos, casamentos, debutantes e formaturas, satisfeito.

Nossa Folha – Quais os próximos passos da sua carreira? Vai continuar com baladas ou vai focar mais em eventos?
Dj Felipe Mello – Cresci e fiz meu nome como Dj nas baladas. Hoje, sou reconhecido por bombar a pista da casa noturna Live-e, onde sou residente há 12 anos. Admito que não vou deixar de tocar em baladas, mas hoje, com 33 anos, meu foco são festas de casamento. Para quem não sabe, gosto de tocar de tudo, desde anos 70 até as atuais e, nos casamentos, esse estilo de tocar faz a pista pegar fogo (eu amo!).

Nossa Folha – A vida de um Dj, normalmente, é bastante ocupada nos fins de semana. Conte-nos como você consegue conciliar a vida familiar com a profissional.
Dj Felipe Mello – Não é fácil! Já perdi vários eventos da escola dos meus filhos. Também deixei de passear e viajar, tudo por conta da profissão, porém, sempre tiro um tempo para a família, mesmo que, às vezes, eu esteja cansado do fim de semana, ainda assim eu priorizo esses momentos de lazer, quando consigo.

Nossa Folha – Para encerrar, deixe um recado para sua família e para as pessoas que admiram seu trabalho.
Dj Felipe Mello – Tudo o que faço e cada decisão que tomo é sempre pensando neles e no melhor para eles. Amo meus filhos e minha família, cada um de um jeito especial. Ao público e aos admiradores, saibam que vocês ainda vão me ver muito por aí agitando as festas. É como sempre digo: “Te vejo na pista!”