Em excesso, ver TV pode tornar seu cérebro mais lento


Pode ser que a relação não seja tão drástica, mas de fato o tempo prolongado em frente à televisão pode alterar o funcionamento cerebral, tornando-o mais lento. Pelo menos foi a conclusão a que estudiosos dos Estados Unidos chegaram em estudo recentemente publicado na edição online da revista científica Jornal of American Medical Association Psychiatry.
Segundo informações do site Minha Vida, para chegar a esta conclusão, especialistas analisaram dados de 3.247 adultos com entre 18 e 30 anos de idade. Grupo tinha homens e mulheres e envolvia pessoas brancas e negras.
As pessoas foram estudadas por 25 anos (entre 1985 e 2011), respondendo a questões sobre seus hábitos, como o tempo que passavam vendo TV e a quantidade de exercícios que praticavam. As pessoas respondiam esses questionários a cada dois a cinco anos, dentro desse período.
Depois, os especialistas traçaram perfis. Por exemplo, pessoas que tinham padrão constante de assistir mais de três horas de televisão ao dia em mais de dois terços das entrevistas deste período foram consideradas dentro de um padrão de alta exposição à TV.
Por fim, essas pessoas foram avaliadas cognitivamente através de três tipos de testes que avaliavam de formas diferentes a memória, as funções executivas e flexibilidade de tarefas.
O que os especialistas perceberam é que os pacientes que viam mais televisão, de acordo com os perfis traçados, tiveram performances cognitivas. Quando comparando quem via muita TV e fazia pouca atividade física com as pessoas que tinham hábitos opostos, os primeiros tinham duas vezes mais chances de apresentarem resultados piores. E o desempenho fraco estava totalmente relacionado a um funcionamento mais lento do cérebro.
Para os especialistas, no entanto, mais estudos são necessários para entender por que essa relação acontece. Mas vale lembrar que passar muito tempo sentado diante da TV e exercitar-se pouco leva a diversos problemas de saúde físicos, como diabetes tipo 2, risco mais elevado de doenças cardiovasculares e obesidade.
Outros estudos também apontam a relação entre TV e o sedentarismo. Hábito de ver televisão em excesso ajuda a desenvolver doenças, pois o telespectador não se movimenta, ainda mais com a facilidade do controle remoto.
Também segundo outras pesquisas, excesso de televisão pode até desencadear doenças que parecem não ter relação com este hábito, como o Alzheimer.
Os especialistas alertaram que o excesso de ver televisão pode ser prejudicial em todos os sentidos, seja físico ou até mesmo emocional.