Evandro Zanardo Paulim agora é o padre chef


Depois do sucesso alcançado nesta última temporada do MasterChef Brasil, o tieteense vai explorar seu lado cozinheiro fora do programa

Com o slogan #ChurrasBrasil, o padre chef ganhou milhares de seguidores

Natural de Tietê, padre Evandro Luiz Zanardo Paulim, da Paróquia Santa Maria Madalena, no bairro Ouro Fino, em Sorocaba, foi um dos participantes desta temporada do MasterChef Brasil, transmitido pela emissora Band e comandado por Ana Paula Padrão.
Com o fim do programa, padre Evandro concedeu entrevista ao jornal Nossa Folha e disse que se orgulha das escolhas que fez em todo período em que esteve na competição e foi avaliado pelos chefs Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella. Sem deixar de lado sua função religiosa, padre Evandro agora quer explorar seu lado de cozinheiro.
Com o slogan #ChurrasBrasil, o padre chef ganhou milhares de admiradores nas redes sociais depois que saiu do programa.

NOSSA FOLHA – Para você, o que é cozinhar e quais são os seus pratos preferidos? Neste universo, teve a influência de alguém?
Padre Evandro – Cozinhar é um ato de amor e de entrega ao próximo. Gosto de massas e, claro, um bom churrasco! Lembro-me das minhas avós no fogão de lenha.

NF – Como surgiu a ideia de se inscrever no MasterChef e qual a maior dificuldade em estar sendo julgado por Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella?
Padre Evandro – Em novembro, fiz um almoço para padres e os conselheiros do bispo e ali me empoderei em fazer a inscrição. A maior dificuldade foi correr contra o relógio e aguentar os elogios e as críticas, pois era muito intenso tudo aquilo!

NF – Como foi conseguir o avental mais desejado do Brasil? Diante de centenas de competidores, achava que conseguiria estar entre os 21 escolhidos do MasterChef?
Padre Evandro – Esta edição teve mais de 30 mil inscritos e, como gosto de desafios e sou competidor nato, abracei esse desafio e conquistei o avental com muita emoção e lágrimas.

NF – Depois de ser eliminado na prova do lagostim e deixar o programa, o padre declarou que não conquistou o coração dos três jurados. Por que chegou a essa certeza? Acredita que foi muito ousado e arriscou demais na atividade de defumar?
Padre Evandro – Ousadia é uma das minhas virtudes! Eu tentei impressionar tanto é que, dos três jurados, dois gostaram do meu prato (Fogaça e Paola), mas competição é assim mesmo.

NF – Qual a sensação (de verdade) que o padre chef sentiu a ser eliminado no 18º episódio e ver ir embora o cobiçado troféu; a conta na Caixa recheada com R$200 mil; a bolsa de estudos na Le Cordon Bleu, em Paris; o próximo lançamento da Citroën; eletroportáteis e utensílios da Tramontina by Breville; a viagem para a Itália para conhecer a fábrica da Barilla e acompanhar a final do Worldpasta Championship; além de criar receita exclusiva de molho de tomate para a linha Pomarola Chef?
Padre Evandro – Sai chateado sim, pois a competição acabou. Mas nem todo dinheiro do mundo compra a felicidade. Eu estava cansado das intensas gravações e da vida do semiconfinamento. Porém, tenho certeza que os prêmios que conquistei até agora e vou continuar conquistando estão perfeitos.

NF – De cozinheiro anônimo a padre chef. Quais são seus planos daqui para frente? E sobre a notoriedade que ganhou nas redes sociais, como tem lidado com isso?
Padre Evandro – Estudar muito, pois a vida gastronômica requer e muito. Do fogão de lenha e churrasqueira para o título de chef, tenho muitas técnicas a aprender. Vou fazer escolhas que alinhem com a minha vida de pároco (que já é intensa). São cinco comunidades e 90 mil habitantes, onde sou o único padre. Ser famoso é uma tarefa árdua, entretanto, estou acostumando. Fotos e mais fotos e o carinho dos fãs é algo sensacional.

NF – Torceu pela ganhadora Maria Antonia e quais as amizades que ficaram dessa participação no MasterChef?
Padre Evandro – Minha torcida foi para o Hugo. Ele era humilde, sonhador e representava a competição do MasterChef. Sobre as amizades, tivemos um evento de costela fogo de chão na minha paróquia com a presença de vários competidores desta edição: Hugo, Rita, Ana Luiza, Clarisse, Tiago, Brissa, Angélica, Rui e Rocini. Foi maravilhoso! Quem sabe ser amigo, sempre terá amigos!

NF – Recado do padre chef:
Padre Evandro – Agradeço o carinho e a compreensão de todos. Um abraço e as minhas orações!