Excesso de compromissos desencadeia ansiedade


Psicóloga Luana Thibes explicou que é importante dividir tarefas e evitar sobrecargas emocionais para curtir os momentos festivos

A proximidade das festas de fim de ano costuma empolgar muitas pessoas que não veem a hora de comemorar. No entanto, para outras, a notícia de que será preciso enfrentar uma verdadeira maratona de tarefas, como as buscas por presentes e os preparativos para as ceias de Natal e Ano-Novo, chega a causar ansiedade.
Como se não bastasse toda essa correria, também é preciso incluir na agenda os convites para confraternizações, organizar a viagem de férias, decidir onde será a reunião familiar e, ainda por cima, dar conta das crianças que, à essa altura, já estão em casa, de férias, aguardando a chegada do Bom Velhinho.
Parece impossível dar conta de tudo isso, não é? De fato, os preparativos para os compromissos dessa época causam em muita gente as já conhecidas “síndromes de fim de ano”, como explicou a psicóloga Luana Thibes. “Dezembro, diferentemente do que pensa a maioria das pessoas, não é sinônimo apenas de festas e comemorações. O excesso de tarefas pode sobrecarregar a mente, provocando um verdadeiro trauma em quem acumula todas essas responsabilidades”, afirmou.
Estudo da Internacional Stress Management Association (Isma), no Brasil, revelou que o nível de estresse do brasileiro sobe, em média, 75% nos últimos dias do ano, constatando cientificamente o que muita gente já percebeu: o fim do ano é muito estressante.
A psicóloga explicou, ainda, que toda essa carga de estresse ocorre, pois não somos constituídos para lidar com tantas coisas ao mesmo tempo. “Nosso cérebro tem limite de atividades que consegue desempenhar simultaneamente e com qualidade. Ao sobrecarregarmos a vida de compromissos, são liberadas cargas enormes de substâncias que visam deixar o cérebro ativo para ‘dar conta do recado’. No entanto, chega uma hora em que o corpo não aguenta mais ficar com o ‘pé no acelerador’. É, aí, que surgem os sintomas dos transtornos psicológicos”, revelou Luana.
Dentre as principais doenças decorrentes do estresse, estão as crises de ansiedade e a síndrome do pânico, que podem causar dificuldades para dormir, compulsão alimentar e consequente ganho de peso. “Essas são as primeiras consequências do estresse crônico, que pode evoluir para problemas mais sérios, como isolamento e depressão”, disse a psicóloga.
Uma das formas de evitar o estresse elevado no fim do ano é saber dividir as tarefas, diminuindo a sobrecarga sobre uma pessoa só. “É mais saudável não acumular tantas responsabilidades. É preciso haver compreensão e cooperação”, pontuou Luana.