Fatos que atravessaram séculos (parte 1)


Por Maria Inês Foltram e colaboradores

Com a instalação da Irmandade de São Benedito e a construção da capela, começaram os festejos e as comemorações ao santo que, tradicionalmente, ocorrem no último fim de semana do mês de setembro.
Não há registros precisos porque esta data foi escolhida, mas o fato é que a Festa de São Benedito ganhou popularidade e tornou-se tradição em Tietê, atraindo milhares de devotos e visitantes todos os anos.
Era tradição na cidade a imagem de São Benedito prestigiar todas as procissões, abrindo o cortejo, porque, do contrário, haveria chuva como fato já acontecido em muitas vezes.
Atualmente, esta tradição não ocorre mais, infelizmente. Somente na procissão em louvor a São Benedito o andor com sua imagem sai atrás fechando o cortejo, fato este respeitado até os dias atuais.
Tradicionalmente, a Irmandade de São Benedito vai à frente do andor da imagem e da relíquia, percorrendo as ruas principais do Centro da cidade, abençoando por onde passa. De fato, São Benedito é um santo forte e muito respeitado pelo povo, especialmente o tieteense em razão de muitos fatos ocorridos anteriormente.
Diz a tradição que não se realiza outro evento no domingo de sua festa. Isto devido a um fato marcante ocorrido anos atrás, quando, por ocasião da Festa de São Benedito, um gestor municipal da época realizou a Feira Agroindutrial de Tietê (Fait) para atrair mais pessoas e visitantes a ambos os eventos. Ocorreu que, no momento da procissão, ergueu-se um temporal com forte vendaval, que arrasou as tendas do recinto “Luiz Uliana”, onde se realizava o evento da Fait, acabando, assim, com a programação prevista para aquela tarde e noite.
Embora não tenha registro de vítimas, a população tieteense atribuiu o fato coincidentemente como “abuso” ao santo e desrespeito ao seu cortejo e, assim, nunca mais se realizou outro evento na data em que ocorre a Festa de São Benedito em Tietê.