Felicidade


Por Leonor Machia Honório

Felicidade
Veio alguém bater à porta.
Vacilei, não quis abrir.
Pensei que fosse a saudade,
Que vive a me perseguir.

Bateu de novo com força.
Mas depois não mais insistiu,
Desceu as escadas em silêncio
E para sempre partiu.

Partiu deixando na porta
Estas palavras fatais
Eu sou a felicidade
Não voltarei jamais.

Leonor Machia Honório
(6/12/1977)