Fiéis prestigiam a 149ª Festa de São Benedito


Procissão atraiu comunidades de Tietê e de outras cidades paulistas durante toda a programação religiosa em homenagem ao santo negro

Em Tietê, a 149ª festa em louvor a São Benedito teve início na quinta, 14 de setembro, e terminou no domingo, dia 24, quando ocorreu a tradicional procissão.
Ao longo da semana, houve novenas e missas, sendo que no sábado, dia 23, e no domingo, dia 24, a festa também contou com a programação cultural e o famoso Batuque de Umbigada realizado no barracão da igreja Santa Cruz.
No domingo, dia da festa, o arcebispo da Região Metropolitana de Sorocaba, Dom Julio Endi Akamine, presidiu a primeira missa do dia. Também no domingo, foi realizada missa das Irmandades filiadas ao Conselho Nacional das Irmandades de São Benedito (Conisb); missa solene com participação da Corte de São Benedito e representantes das Irmandades; missa dos romeiros; e tradicional procissão, com andores da Santíssima Trindade, Senhor Bom Jesus, Santa Edwiges, São Tarcísio com coroinhas, Menino Jesus de Praga, carrinho do Menino Jesus, Quadros dos Sete Dons do Espírito Santo, Úrsula e seus companheiros, a Bíblia e os Quatro Evangelistas, movimentos e associações com fitas, Irmandade de São Benedito e os andores da relíquia e de São Benedito, além de fiéis e devotos.
Na parte recreativa da festa, na sexta, dia 22, à noite, pela primeira vez, foram servidas porções no barracão de festas com presença da comunidade local; no sábado e no domingo, 23 e 24, teve quermesse, além de leilão de gado e prendas com os leiloeiros Carniel e Juninho Canavezzi.
Na programação cultural do evento, no sábado, teve apresentação, na praça dr. Elias Garcia, no Centro, de Djs e pagode. No domingo, no Recinto “Luiz Uliana” (Fait), subiram ao palco Djs e cantores de pagode e axé.
PROJETO GURI – Na quinta, 21 de setembro, o Polo Tietê do Projeto Guri promoveu a palestra socioeducativa A presença do negro em Tietê. Objetivo da atividade foi apresentar o papel do negro no cenário musical e artístico atualmente, além de apresentar e desmistificar os estereótipos contidos na tradição da Festa de São Benedito e do Batuque de Umbigada.
Os educadores Rafael Scherk e Cristiano Lourenço, com os convidados Pedro Macerani e Laureine Foltran, apresentaram conhecimentos sobre as histórias das origens do batuque em Tietê.
Segundo os organizadores, atividade faz parte das diretrizes da área de desenvolvimento social do Projeto Guri, cujo objetivo é promover reflexão sobre valores éticos, estéticos e políticos, ampliando conhecimentos, trazidos pelo público, de sua vivência familiar e experiência cultural com participação das famílias. “É muito importante para nós, educadores sociais, que os guris conheçam a história local, valorizem nossas tradições e gerem em si novas reflexões quanto ao tema etnia e raça”, disse a coordenadora Zezé Belaz.