Jovem de Cerquilho retorna de intercâmbio cultural


Marcelo Brito, de 21 anos, ex-aluno de violão do Polo Cerquilho, ficou em Moçambique

Após participarem do programa do intercâmbio Musicians and Organizers Volunteer Exchange (Move), criado pela JM Norway e promovido no Brasil pela organização não governamental (ONG) Amigos do Guri, jovens músicos do Projeto Guri retornaram ao Brasil com histórias sobre o período de 10 meses que passaram na Noruega, Malauí e Moçambique.
Vale destacar que o Projeto Guri promove esse intercâmbio uma vez ao ano. Inicialmente, todos os jovens passam por um período de imersão na Noruega nos 15 primeiros dias, onde conhecem os demais intercambistas e entendem detalhadamente os objetivos e responsabilidades durante a experiência. Na sequência, são distribuídos em dupla para países distintos. Toda a viagem e as despesas são totalmente gratuitas para os selecionados.
Marcelo Brito, de 21 anos, ex-aluno de violão do Polo Cerquilho, ficou em Moçambique e lá lecionou no abrigo S.O.S. para moradores de aldeias, junto de Renan Dias, de 25 anos.
Intercambista de Cerquilho trabalhou como voluntário no projeto Massana, mantido por três norte-americanas, no Centro da cidade, para crianças a partir de cinco anos que viviam nas ruas.
Para lidar com esse público, o jovem adaptou sua linguagem e metodologia. Foi assim que criou o Tás A Ver, projeto de metodologia prática do ensino de música.
“Estava me prendendo muito à parte técnica que aprendi no conservatório e, com o tempo, percebi que não funcionaria com eles. Cada dia tinha um rosto diferente na sala e tive que mudar a minha abordagem e deixá-la prática”, disse o violonista de Cerquilho.
Marcelo Brito e Renan Dias foram responsáveis por estruturar uma Move Band com outros intercambistas noruegueses e malauianos. Tocaram bossa nova e funk para representar o Brasil e diversificaram o repertório com rock, música pop da Noruega e música infantil do Malauí.