Médicos ensinam como permanecer saudável


Pode parecer óbvio, mas é verdade que os hábitos de higiene fazem toda a diferença para a manutenção da saúde

Quando você chega ao hospital ou consultório, o médico está lá de branco, por vezes cansado das horas trabalhadas, mas saudável. Cercado por pessoas espirrando, tossindo, com os mais diversos tipos de dores ou ferimentos, parece que nada o afeta. Por que isso acontece?
Médicos, além de terem estudado como o corpo humano funciona, também têm dicas de como evitar doenças. Confira:
HIGIENE – Pode parecer óbvio, mas é verdade que hábitos de higiene fazem a diferença para a manutenção da saúde. “Hábito de lavar as mãos assim que se chega no destino, antes de manipular alimentos, antes de se alimentar, depois de ir ao banheiro, entre outros, é importante para a prevenção de doenças, principalmente as virais. Assim como cobrir o nariz e a boca quando se tosse para não propagar o vírus e lavar as mãos após isso. Tomar banho todos os dias, trocar de roupa, deixar o ambiente arejado, usar vestimentas, roupas de cama e de banho limpas. Na praia, tomar cuidado com as cadeiras e colocar toalha limpa sobre ela quando for sentar para evitar a transmissão de sarna. Lavar alimentos crus, tomar cuidado com o que se come e bebe também são cuidados essenciais”, ensinou a infectologista Ligia Pierrotti.
ÁGUA – Cerca de 70% do corpo humano é composto por água, logo, ela é fundamental do ponto de vista fisiológico. “Todas as células do nosso organismo precisam de água. Ela não tem energia, não produz calorias, mas é essencial para o funcionamento do corpo. E quando digo que é importante beber água, quero dizer exatamente isso, e não líquidos no geral. Suco é fruta no estado líquido, isso não é água”, disse o especialista em nutrologia e medicina do esporte Andrea Bottoni.
ALIMENTAÇÃO – “Para a população saudável em geral, não existe o alimento mágico nem o ruim. Nós podemos comer de tudo e não existe algo que em termos absolutos faça mal ao nosso organismo. O que pode fazer mal ao longo do tempo é a manutenção de hábitos não saudáveis, como comer todos os dias como se fosse uma data comemorativa”, afirmou Bottoni.
Dica do especialista é deixar o prato colorido, não exagerar nos alimentos de origem animal, adicionar bastante fibras e vegetais e ingerir de tudo um pouco, mas comer devagar.
SONO BOM – Dormir profundamente, descansar mesmo, é importante tanto para a parte física, o corpo em si, quanto para a mente. “Quando temos uma noite de sono ruim, não atingimos a fase do sono REM, que é o período do sono restaurador, e acordamos cansados, fadigados, indispostos e de mau humor”, disse o clínico geral Giulliano Accetta.
Cochilos também podem ajudar a melhorar a disposição, mas atenção, “assim como a quantidade de sono que alguém precisa para ficar bem é variável, a soneca pode deixar algumas pessoas mais atentas, dispostas, rendendo mais em suas atividades e outras acabam ficando mais sonolentas, rendendo menos, depende da pessoa”, completou.
SUPLEMENTOS – “São indicados quando a pessoa tem necessidade superior ao que é normal, como quando há alguma doença, deficiência de algum nutriente ou está gastando muito, como no caso dos atletas. Para um adulto saudável não há esta necessidade”, disse o nutrólogo. Quando se come de maneira equilibrada e cuida da saúde, no geral, eles não são necessários e devem sempre ser recomendados por um profissional de saúde.