Moradores cobram limpeza de praças


Na dr. Domingos de Moraes, no Centro, mato toma conta de toda a extensão

Conhecida como Cidade Jardim, Tietê encontra-se com praças tomadas pela sujeira em calçadas e mato alto. A condição de abandono de espaços públicos tem chamado atenção de moradores, que cobram a limpeza e manutenção destes locais.
“Estas áreas são ponto de lazer e convivência social, além de embelezarem a cidade. Mas nos últimos meses, o que vemos são praças abandonadas, mato alto e a presença de animais peçonhentos, como escorpiões”, comentou um munícipe.
Duas das várias reclamações tiveram como alvos a praça da Vila Brasilinha, que fica abaixo da Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) “Carlina Alves de Lima”, e a praça dr. Domingos de Moraes, em frente ao Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), no Centro. “Esses locais têm nos preocupado porque oferecem riscos à saúde pública. Por isso, pedimos providências da Prefeitura”, comentaram os moradores.
O Departamento de Jornalismo deste semanário questionou se é possível efetuar a limpeza destes locais, quando o serviço será feito em todas as áreas públicas, se existe cronograma e o que depende para a Prefeitura de Tietê contratar empresa terceirizada para realizar a limpeza das áreas verdes e públicas do município.
Mas até o fechamento desta edição, a Prefeitura não havia respondido a demanda dos moradores.