Mulher consciente!


Outubro Rosa é uma campanha de conscientização realizada no mês de outubro e dirigida à sociedade e às mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.
Movimento surgiu em 1990, na primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova Iorque e, desde então, vem sendo promovida anualmente na cidade. Nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.
Embora a doença esteja presente no ano inteiro, o mês de outubro foi escolhido para representar a causa ao redor do mundo. Durante todo o período, é comum ver espaços e monumentos decorados e/ou iluminados com a cor.
No Brasil, por exemplo, o primeiro sinal de envolvimento com o Outubro Rosa ocorreu em outubro de 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado com a cor. Em outubro de 2008, o movimento ganhou ainda mais força e, hoje, várias cidades brasileiras abraçam o movimento.
O câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo. No Brasil, as taxas de mortalidade por esse tipo de câncer continuam elevadas, especialmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançados. Por isso, o autoexame das mamas e a mamografia são essenciais. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens. Porém, quanto mais cedo o diagnóstico, mais chances de cura. A entidade informou que, quando descoberto no início, há 95% de probabilidade de recuperação total.
Além da mamografia, o Outubro Rosa alerta para a importância do autoexame. Apesar do câncer ser uma doença, na maioria das vezes com desenvolvimento silencioso, algumas mulheres sentem mudanças no corpo.
Diagnosticar é o primeiro passo. O autoconhecimento e a informação são fundamentais. Quanto mais precoce a descoberta, mais chances de recuperação e cura. Compreender, monitorar e cuidar de cada sintoma, procurar o apoio e o tratamento certos são essenciais. É importante saber que você não está sozinha e que tem o suporte que necessita. O fim de um tratamento é o início de uma nova vida saudável com os devidos cuidados. É preciso seguir em frente, mas ficar atenta e manter sempre uma rotina que privilegie o bem-estar.
E para aquelas que, neste momento da vida, receberam o diagnóstico de câncer de mama, fica a mensagem que o otimismo e a fé são maiores que a doença. Lembre-se sempre: quando diagnosticado e tratado ainda em fase inicial, as chances de cura chegam a 95%.