Nair Jacinto


Nesta semana, a velha guarda do esporte tieteense não perdeu apenas uma torcedora que fez parte de uma geração alvinegra que foi feliz nos gramados do Comercial Futebol Clube, perdeu também uma estimada amiga. Faleceu em São Bernardo do
Campo no domingo, 25 de novembro, Nair Jacinto aos 81 anos. Seu corpo permaneceu velado no Velório Paf Baccili e, após recomendação, foi sepultado no Cemitério Municipal de Tietê.
Nair Jacinto (a Nairzinha) era irmã dos saudosos Antonio José Jacinto (Dé, falecido em 19 de agosto aos 72 anos) e Osvaldo Jacinto, o popular Paradinha da Rádio Nova Regional (falecido em 11 de abril de 2008 aos 66 anos).
Vale lembrar que o corintiano Dé era casado com Olinda e teve os filhos Marcelo, Fábio e Mateus. Já o palmeirense Paradinha, junto da esposa Rosa Luíza Casares Jacinto (a Deusa, como ela gostava de falar), teve três filhos: Adriano, Edna e Cristina. Por 18 anos, Paradinha destacou-se em Tietê e região por interpretar um personagem caipira nos programas Hora do Rancho e Bom Dia Brasil, na época com os locutores Amigo Darci e Foguinho.
Conheci Nairzinha desde minha infância! Fui vizinho da família de seu Antonio Jacinto pipoqueiro (Ferrinho) e dona Maria, pais de Nairzinha, Dé e Paradinha, na rua São Benedito, no Centro de Tietê. Nessa época, Nairzinha e Iolanda Machia (Landa, minha cunhada) eram rainhas do Comercial.
Quantas saudades desse tempo que éramos muito unidos e sempre procurávamos ajudar um ao outro! Assim como eu, muitos amigos lamentaram a morte da querida Nairzinha, pessoa solidária e amorosa que, ao lado de diretores e atletas do Comercial, levou avante o nome e as cores do alvinegro, fundado em 2 de junho de 1920, e merece estar na galeria da saudade do nosso esporte tieteense.
Neste momento, vamos nos apegar às boas lembranças e torcer para que a alma de Nairzinha esteja em paz. Também vamos acalentar o coração dos seus familiares com palavras de conforto e gratidão, pois, nesse momento de luto, é preciso força e coragem para superar os dias cinzentos, não se esquecendo de que as recordações nunca morrerão.
PIADINHA DA SEMANA – O marido fala para a esposa:
– “Amor, vamos passar um fim de semana maravilhoso sem brigas, sem confusão e sem cobranças? Topa?”
– “Claro, amor!”
– “Então, até segunda!”