O “Tupiniquim”


Por Deraldo Rodrigues (in memoriam)

Era quarta, 4 de setembro de 1985, em noite linda e triunfante, no salão social da Associação Esportiva São José, que ocorria o momento áureo do concurso para a escolha do Hino a Cerquilho.
Dessa feliz oportunidade, os sinos repicaram, os homens cantaram e os sorrisos surgiram com o Hino a Cerquilho para divulgar a sua história, acalentar os seus heróis e amar ainda mais essa abençoada terra, que não é apenas dos imigrantes, mas de todos nós.
Entre 12 concorrentes e com o pseudônimo de “Tupiniquim”, para que ninguém conhecesse sua identidade no momento do julgamento, Roberto Rosendo de Camargo teve seu hino escolhido como o melhor: “Cerquilho, Cerquilho, o progresso justifica o seu valor…”
No refrão do hino, José Carlos Nascimento e Julieta Luvizotto Nicolau anunciaram o nome do vencedor do concurso e Roberto Rosendo foi aclamado vencedor.
O Hino a Cerquilho comoveu os corações cerquilhenses, já que ele nasceu pela vontade de Deus e pelo amor à Terra de homens dignificantes e trabalhadores.
O Hino a Cerquilho foi gravado, segundo informado na época, em um compacto simples sob patrocínio da Prefeitura pelo próprio Roberto Rosendo, com arranjo do maestro e diretor do Conservatório de Tatuí, dr. Antonio Carlos Neves Campos, e com a orquestra sinfônica do Conservatório. Eu estive lá!
Mas tudo mudou desde esses tempos. Muita gente passou por aqui plantando, colhendo e deixando saudades. Vieram novos caminhos e Cerquilho foi acalentada pelo progresso acelerado. Que fiquem as lembranças!