Perfil entrevista Adriana Martins


Adriana da Silva Martins, filha de Adair da Silva Martins e de Alberto dos Santos Martins (in memoriam), nasceu em 8 de abril de 1975, em São Paulo. Formou-se em Jornalismo pela Unesp e é mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Trabalha como jornalista na Rádio Nova Regional, é proprietária da Martins Cred (correspondente bancário pela Aneps), assessora de comunicação e terapeuta tethahealing. Está casada com Maurício e tem o filho Arthur Martins.
Eu sou? Uma pessoa que busca proporcionar o bem-estar das pessoas ao meu redor, seja no trabalho ou em casa, através das boas ações.
Sinônimo de beleza? Minha mãe Daiza.
Cantor e cantora? Djavan e Ana Carolina.
Ator e atriz? Lima Duarte e Fernanda Montenegro.
Sonho? Viajar por lugares que ainda não conheci, como a Itália, por exemplo.
Amor? Em primeiro, o mais verdadeiro: o amor de mãe. Este é incondicional!
Solidão? Às vezes, é necessária para colocar os pensamentos no lugar.
Deus? A luz que nos faz brilhar todos os dias, que nos colocou para sermos felizes aqui, comprovando seu amor por nós, suas criaturas.
Religião? Católica.
Filme? Em busca da felicidade.
Sonho de consumo? Viajar para a Disney com o meu filho.
Defeito? Um pouco teimosa. Às vezes, chocólatra (risos).
Qualidade? Responsável, determinada e compreensiva.
Lugar? Minha casa.
Lazer? Adoro parques aquáticos, praia e piscina.
Qual o livro de cabeceira? A Bíblia Sagrada.
Qual profissão teria escolhido sem ser a sua? No caminho, já fui escolhendo. Ser empresária no ramo financeiro e terapeuta tethahealing.
Momento da vida para repetir? Apresentar programas de TV.
Alegria? O nascimento do meu filho, o maior brinde à vida!
Tristeza? Comigo não dura muito não. Procuro driblá-la buscando fazer atividades para esquecer que ela surgiu.
Decepção? Você fazer tudo, dar seu sangue e não ser valorizada.
Receita contra o tédio? Leitura de um bom livro, meditação, brincadeiras divertidas no quintal e fazer bolo com o Arthur.
Tem saudades do quê? De dar aulas na área de Comunicação. Como é revigorante!
Amizade é? Você ter aquela pessoa para contar, não importa quanto tempo faz que não se falam. Importante é saber que aquela pessoa estará ali, sempre pronta, como presente para você!
Amigo(a) especial? Difícil apontar! Mas em uma curta lista, tenho Fabiana Bertola Rodrigues, Aline Pasin, Fabiana Elisa Bardelli, Flaviana Pasquotto e o professor Eugênio Menezes.
Palavra que riscaria do vocabulário? Corrupção.
Ídolo? Puxa, no Jornalismo, somos ensinados a não ter ídolos. Então, nessa parte sou bem insossa.
Frase? “O tempo deixa perguntas, mostra respostas, esclarece dúvidas, mas, acima de tudo, o tempo mostra verdades”.
Nota 10 para: o Papa Francisco, que nos ensina a olhar para o outro com amor e mudar o mundo na simplicidade
Nota zero para: o endeusamento de políticos, visto que são colocados no poder por nós e estão a nosso serviço. Então para provar sua eficácia, primeiro tem que fazer.
Grande homem ou grande mulher? Meu pai, Alberto Martins (in memorian), que instalou o primeiro para-raios na torre da Rádio Nova Regional FM, sem sabermos que um dia eu faria uma história por lá.
Planos para o futuro? Dedicação aos estudos do filho, fazer a terapia tethahealing ser mais conhecida na prática pelas pessoas ao meu redor, ser feliz e próspera nas atividades escolhidas!
Recado? “Quando passamos a julgar o outro é que percebemos que o maior defeito está em nós mesmos. Quando José me fala de Pedro, sei mais de José que de Pedro”.