Prefeito confirma equilíbrio das contas públicas


Ao Departamento de Jornalismo do Nossa Folha, o político prometeu que os próximos dois anos serão de realizações e destacou sua equipe

Prefeito Vlamir Sandei (PSDB) é natural de Tietê e tem 59 anos

O prefeito Vlamir de Jesus Sandei nasceu em 7 de setembro de 1959, em Tietê. É o segundo dos cinco filhos do casal Benedita Mariano Sandei e Irineu Jacintho Sandei, e pai de Natália e Murilo.
Bacharel em Direito, com especialização em Direito Penal e Criminologia e mestre na área de concentração de Direito Público, foi delegado de Polícia em Santa Maria da Serra, Rafard, Piracicaba, Tietê e Porto Feliz, além de corregedor da região de Sorocaba, da Grande São Paulo e, também, delegado geral de polícia assistente. Na área da Educação, já atuou como professor universitário em Direito Penal e Criminologia da Uniesp e professor convidado da Faculdade de Medicina da USP.
Dentre os seus trabalhos desenvolvidos na área do Direito, fez três publicações de trabalhos científicos com os temas: crime organizado, publicado também na revista tecno-cientifica da Associação de Delegados de Polícia do Estado de São Paulo; criminalidade oculta e estatística criminal, publicada na revista tecnocientífica; e fatores sociais desencadeantes do crime de homicídios, também publicado em revista tecnocientífica.
Ingressou na política tieteense em 1992, quando foi eleito vereador para o mandato de 1992 a 1995 na Câmara Municipal de Tietê, sendo reeleito posteriormente de 1996 a 2000. Em 2016, foi eleito prefeito de Tietê com 9.785 votos. Tem como vice-prefeita Ana Madureira. Sua coligação Unidos Por Tietê integrou os partidos PSDB, PSL, PTdoB, PTB, PHS e PV.
Hoje, integram sua equipe de governo a chefe de Gabinete Cristina Bruzi; o secretário de Negócios Jurídicos, José Afonso Callegari; o secretário de Governo e Coordenação, Valter José Consorte; o secretário de Administração e Modernização, Valdemar Antônio Marson; o secretário de Finanças, Everton Ricardo de Almeida Miguel; a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Sandra Maria Ferreira Vaz Takakura; o secretário de Turismo e Cultura, Benedito Marcio de Paludetto Saccon; o secretário de Educação, Sulleiman Schiavi Nicolosi; o secretário de Esportes, Juventude e Lazer, Carlos Eduardo Assumpção (Fulia); o secretário de Meio Ambiente, Agricultura e Desenvolvimento Sustentável (Semades), George Luis Orsolini Nicolosi; o secretário de Obras e Planejamento, Adriano Arcanjo Ferreira; o secretário de Saúde e Medicina Preventiva, Sérgio de Toledo; o secretário de Segurança e Trânsito, Olavo Luiz de Oliveira; o secretário de Serviços, Sidnei Machado dos Santos (Catê); e o diretor-superintendente do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), José Roberto Dantas Bordenale.

NOSSA FOLHA – Em 2016, quando eleito, criou-se por parte do seu eleitorado uma enorme expectativa na sua imagem, já que, em campanha, o senhor prometeu que tinha a solução para os problemas de Tietê. Hoje, como vê isso? Na prática, tudo é diferente e mais difícil?
Vlamir Sandei – Na verdade, a prática não é mais difícil. O que aconteceu é que o maior problema de Tietê era o financeiro e esta condição tem sido efetivamente trabalhada. Reforço aqui que, caso continuassem a manter o descontrole nas finanças públicas, que promoveu o endividamento do município, dentro de poucos meses, os servidores não teriam mais salários. Além disso, muitos serviços municipais seriam paralisados por conta de fornecedores e os convênios com o governo e os repasses de verbas bloqueados.
Minha equipe e eu salvamos Tietê do verdadeiro caos financeiro e do descontrole administrativo, que trouxeram consequências severas à população. Um exemplo foi o vergonhoso episódio da interrupção da coleta do lixo domiciliar no Governo Municipal anterior ao nosso.
Ao assumir, o déficit mensal da Prefeitura de Tietê era superior a R$2 milhões ao mês, ou seja, gastava-se muito mais que o arrecadado. Desse modo, reavaliamos e reduzimos os valores dos contratos (sem paralisar o que era essencial), pagamos grande parte da dívida, negociamos outra parte, assumindo-a no período da nossa gestão, e investimos em todas as áreas que recebemos sucateadas.
Aumentamos em R$545 mil por ano os repasses para a Santa Casa de Misericórdia de Tietê, iniciativa que não era realizada há quatro anos. Assim, mantivémos os depósitos em dia e asseguramos tranquilidade à entidade, médicos e funcionários. É importante salientar que o governo anterior deixou de realizar por três meses os repasses à Santa Casa no fim de 2016, valores estes que honramos e que garantiram o funcionamento do Pronto Atendimento que atende toda a cidade.
Muito está sendo feito! Talvez não seja visível aos olhos de todos, porém, é a base para que os serviços possam ser realizados sem oneração da máquina pública, com responsabilidade fiscal, honestidade e respeito ao cidadão.
Tenho total convicção que, nos próximos meses, nossos esforços terão resultados mais visíveis.

NF – Por ser do PSDB, seus eleitores acreditavam que a sua vitória beneficiaria Tietê junto ao Governo do Estado por conta do seu partido e, assim, as conquistas em prol do município viriam de maneira mais rápida. Mas não foi isso que aconteceu. O que houve para essa relação ainda não ser de grande potencial?
Vlamir Sandei – Nestes dois anos, contamos com a atenção do governo paulista que, inicialmente, nos socorreu com a regularização do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que mantém a sobrevivência financeira da Educação municipal. Na época, estavam para ser bloqueados por falta de pagamento do município nos reembolsos dos salários dos professores do Estado que prestam serviços às escolas municipais.
Através de negociações junto ao Governo Estadual, conquistamos aumento nos repasses ao município para o cumprimento das ações da alimentação e do transporte escolar. Também conquistamos o acesso ao bairro Santa Maria, problema este que perdurou por várias gestões sem solução e que, graças ao nosso comprometimento com os moradores locais, foi solucionado.
Outra conquista foi a instalação da Univesp, que oferta cursos gratuitos na área de Engenharia e Magistério. Tiveram, ainda, a emenda de R$800 mil para a construção de uma policlínica, que beneficiará a saúde, a aquisição de dois ônibus escolares para diminuir as despesas com o fretamento do transporte escolar, além da resolução ou amenização de problemas nas áreas ambiental, sanitária, de abastecimento e esportiva.

NF – O que acontece que, depois de dois anos da posse, a atual administração ainda se abstém de citar projetos, metas e prazos e limita-se a realizar o básico na cidade? O “novo” para Tietê não aconteceu (pelo menos até o momento) por qual razão?
Vlamir Sandei – Nossa administração tem ainda dois anos pela frente. Afirmo que não mediremos esforços neste período para salvar Tietê. Agora, com saúde financeira equilibrada, teremos como colocar incisivamente em ação o cumprimento do nosso plano de governo e, assim, fazer nossa querida cidade se desenvolver concretamente.
Reforço! Muitos benefícios, como já citado, ocorreram e irão ocorrer, sempre com responsabilidade ao dinheiro público. Sem esse respeito ao contribuinte, veríamos ainda mais obras sendo paralisadas pela metade. Entendo que um falso progresso não é de nada interessante para Tietê. Ele pode não gerar grande popularidade, mas fazer o certo gera um progresso duradouro e seguro.

NF – Desde a posse, a escassez de recursos por conta das supostas dívidas do governo anterior ainda continua sendo usada como justificativa para que obras e melhorias não saiam do papel. Acredita que esse discurso ainda se mantém, uma vez que o senhor declarou, durante a campanha, que sua administração seria transformadora? Tem conhecimento que, entre seu eleitorado, há pessoas que se declararam decepcionadas com sua administração?
Vlamir Sandei – Há uma correção. Não são supostas dívidas, o caos financeiro foi fato constatado e comprovado, inclusive pelo próprio Tribunal de Contas do Estado, com a rejeição das contas de 2016 do ex-prefeito Manoel David, que teve déficit de mais de R$12 milhões.
Sobre a pergunta, afirmo que a crise financeira não é argumento para discurso. A Prefeitura de Tietê perdeu completamente a credibilidade diante dos fornecedores. Reconquistá-la é trabalho árduo e que, finalmente, se concretiza. Todos sabem que é impossível fazer qualquer ação sem dinheiro ou sem material humano. Enquanto na outra gestão havia mais de 100 cargos em comissão, hoje, trabalho com apenas 15, sendo 13 deles destinados aos secretários.
Para reestabelecer a qualidade dos serviços do município, adotamos a cautela e realizamos os concursos públicos e, ainda, destinamos à Câmara lei que cria o programa emergencial de requalificação profissional e combate ao desemprego.
Tenho total consciência que é impossível agradar a todos ou tentar demonstrar todas as nossas conquistas na reorganização financeira e administrativa, quando o espaço para tanto é completamente reduzido. Mas as críticas não podem intimidar, pois minha equipe e eu temos plena certeza que estamos reconstruindo uma base sólida para Tietê e todos os frutos que nós e toda a população de Tietê esperam chegarão em breve!

NF – O prefeito tem conhecimento de que, em muitos momentos, tem passado para seu eleitorado certa insegurança à frente da Prefeitura, já que estes acreditavam que o senhor promoveria uma guinada no Governo Municipal e acenava para mudanças rápidas e positivas?
Vlamir Sandei – A guinada ocorreu! Mudou-se totalmente a visão administrativa e transformamos o governo em gestão responsável. É fato que não existe mudança real e efetiva sem planejamento e feita de forma leviana e momentânea. Tanto o povo de Tietê quanto eu esperamos soluções que perdurem pelos próximos anos, sem qualquer politicagem. É isso que tem sido feito! Mesmo com estas dificuldades, temos colecionado pequenas vitórias para Tietê e a compreensão da maioria do eleitorado consciente.
Na questão da Segurança, por exemplo, foram 25 anos com o mesmo armamento da Guarda Civil Municipal (GCM) e viaturas adaptadas. Agora, adquirirmos pistolas semiautomáticas, duas viaturas reais, novos coletes e a contratação através de concurso público de 15 guardas civis municipais para completar o efetivo. Temos também a proposta do sistema Detecta, do Governo do Estado, que, em breve, será inaugurado no município.
Na área da Saúde, houve considerável evolução na oferta de medicamentos, na quantidade de exames, no número de viagens atendidas, além do aumento de atendimentos de exames mais complexos. Além disso, foi implantada a residência terapêutica, que é uma casa que atende o público carente com transtorno mental. As estruturas das Unidades Básicas de Saúde (UBS) receberam benfeitorias na tentativa de amenizar as dificuldades dos frequentadores do sistema público de saúde. Realizamos, também, mudança do layout da Farmácia Municipal, o que proporcionou a diminuição das filas e possibilidade do sistema de senha. Assim, o paciente passou a aguardar para ser atendido com dignidade. Houve, ainda, aumento significativo no atendimento de receitas, o que chegou a R$6 mil ao mês.
Ainda na Saúde, o agendamento das consultas facilitou a vida dos cidadãos no sentido de não precisar enfrentar filas para serem atendidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), como de costume. Adquirimos novos equipamentos para o Centro Odontológico, além de dois veículos novos (tipo passeio) para atender demanda da Secretaria de Saúde, um novo ultrassom e ampliamos o atendimento ambulatorial com novas especialidades, como alergologia, vascular e pequenas cirurgias ambulatoriais.
Na Educação, houve revisão da alimentação escolar, o que gerou a diminuição média dos valores que o município investe nesse seguimento de R$220 mil por mês e, assim, aumentamos a qualidade da merenda oferecida. Isso chama-se gestão responsável!
Ainda na Educação, os educandos passaram a contar com o material didático dos programas Ler e Escrever (1º ao 5º ano) e do São Paulo Faz Escola (6º ao 9º ano) associado às avalições externas, inclusive a Prova Brasil, aplicada pelo Ministério da Educação (MEC), a cada dois anos, que mede o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica Nacional (Ideb).
Nas Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs), tiveram reformas custeadas pelo município, em parceria com a comunidade escolar e até através de recursos de festas promovidas pelas escolas, as quais colaboraram e promoveram importantes contribuições e, assim, asseguraram a segurança e melhor ambiente físico escolar.
A retomada da Educação tieteense não parou por aí:
-Nova creche iniciou as atividades no bairro Santa Maria;
-A Emeb Educandário “Rosa Mística”, no Centro, voltou a funcionar;
-A frota do transporte escolar passou por reforma e conta com novos ônibus;
-As escolas municipais receberam equipamentos de segurança, como extintores, esquecidos na gestão passada; além de filtros de água, substituídos, pois estavam vencidos desde 2014. Procedimentos importantes de desinsetização e sanitários nos espaços escolares também foram executados;
-Houve a substituição de telhados e reformas mais significativas nos prédios das unidades escolares;
– Tietê ganhou um polo da Universidade Estadual, (Univesp) com cursos gratuitos geridos pela USP, Unesp e Unicamp na Emeb “Beny”, no bairro Terra Nova;
-O Centro Integrado de Recursos Especiais Pedagógicos Municipal (Cirepem) ganhou sede própria no coração da cidade e saiu do aluguel. A Secretaria Municipal de Educação ocupou novo espaço com auditório e garagem própria para a frota do transporte escolar.
Em Obras e Planejamento, nossa administração iniciou a organização dos loteamentos de alto e médio padrão, além de realizar pavimentação do acesso ao bairro Santa Maria como opção segura aos moradores. Tivemos, ainda, as obras de acessibilidade da praça dr. Elias Garcia, no Centro; a nova ponte da Baronesa; a pavimentação asfáltica e a drenagem de águas pluviais das ruas do São Roque; o recapeamento asfáltico do Seis Irmãos; e o recapeamento asfáltico de ruas do São Pedro.

NF – Como mudar a visão do eleitorado que intitula seu governo com a seguinte classificação: “falta de clareza, despreparo e sem tanta representatividade junto aos Governos Federal e Estadual”? Acredita que fracassou em algum momento por conta de ainda não ter conseguido satisfazer o eleitorado?
Vlamir Sandei – É natural que haja críticas. Por isso, é tão importante termos este tipo de espaço dado pelo jornal. Através dele, podemos apresentar a evolução do município e mostrar que Tietê está no caminho certo.
Reforço, mais uma vez, que os próximos dois anos serão de muitas concretizações, já que os entraves financeiros estão diminuindo, graças ao trabalho constante pela nossa pequena equipe de governo. Por sinal, a menor da história recente de Tietê!
Afirmo que a cidade está no caminho certo e a nossa administração focada na gestão e não na política eleitoreira. Com certeza, esses próximos anos serão de muitas realizações, já que os entraves financeiros foram equilibrados, graças ao trabalho e à torcida de todos que verdadeiramente amam e respeitam Tietê, sem qualquer outro interesse que não seja ver seu desenvolvimento!
Quanto à representatividade junto aos Governos Estadual e Federal, estamos cada vez mais próximos aos seus representantes. Sabemos que, com os laços cada vez mais estreitos, com certeza, Tietê será beneficiada!
NF – Como trata esse tom crítico de parte da população em relação ao seu governo e a opinião de eleitores que intitulam sua administração como “sem vida e sem força”? Gera preocupação?
Vlamir Sandei – De forma alguma gera preocupação, até porque é nítido o interesse desse tipo de rotulação. Os meios e as pessoas já conhecem essa história, conhecem os personagens e as reais finalidades!
Enquanto isso trabalhamos com todas as forças para conquistar muito mais até o fim do nosso governo, que, por sinal, chegou à metade, conseguindo, sem traumas, voltar a crescer. Podemos comprovar tudo isso através do superávit financeiro de 2018, algo não visto em mais de uma década no município. Essa realidade é que nos fortalece para os investimentos futuros e que demonstra o resultado da seriedade e responsabilidade.
Eu sei que, se não fizemos mais, é porque realmente encontramos uma situação de calamidade financeira jamais vista na história de Tietê.

NF – Mesmo diante dos obstáculos e da inexperiência, acredita que, nos próximos dois anos, conseguirá honrar parte das promessas de campanha? Como mudar a imagem que a sua administração é o oposto que Tietê precisa?
Vlamir Sandei – Nossos compromissos estão sendo horados e nossa administração tem até 2020 para mostrar a que veio! O importante é que superamos os piores obstáculos porque temos o principal dentro de nós, a vontade de servir, de vencer as barreiras, de não se curvar à politicagem, de dizer não à politicalha e à patifaria daqueles que alimentam a mentira e o ódio. Somos da paz e temos como único interesse o bem-estar da população.
Até o momento, o grande destaque da nossa gestão são a rapidez e a eficiência em recuperar a situação financeira do município. Afinal, quando assumimos, ninguém queria ser fornecedor da Prefeitura. Hoje, o quadro é totalmente diferente, temos credibilidade!

NF – Para encerrar, como será a relação do prefeito junto à Câmara de Tietê, agora que o presidente é Dau Fabri (PHS)? Muda algo ou os critérios de relacionamento serão os mesmos?
Vlamir Sandei – O respeito e a certeza de que ambos os poderes lutam pelo bem do município continua inalterado. Tenho certeza que trabalharemos em conjunto para o progresso de Tietê. Haverá muito diálogo para vencermos as divergências de situações naturais da sociedade democrática.
Eu, o presidente Dau Fabri e todos os vereadores, imbuídos no desenvolvimento de nossa cidade, continuaremos a trabalhar com objetivo de recolocar Tietê nos trilhos do verdadeiro desenvolvimento.
Lembro que sempre me coloquei à disposição dos vereadores, assim como o meu gabinete e a nossa administração, mantendo, assim, as portas abertas independentemente da legenda partidária.

NF – Considerações finais:
Vlamir Sandei – Infelizmente, não há espaço para divulgar tudo o que estamos construindo para alicerçar o real desenvolvimento, mas temos a convicção de que estamos no caminho certo!
O tempo e as circunstancias mostrarão a realidade. Nossa missão em direção do desenvolvimento de Tietê continuará a ser exercida com fé, esperança, prudência, responsabilidade e a certeza de que temos aberto caminhos para o avanço equilibrado pelo bem geral dos nossos munícipes.
De coração, agradeço a todos que, diariamente, nos ajudam a trilhar e nos dão a certeza que estamos no rumo certo. Deus abençoe cada minuto a vida dos nossos munícipes e familiares!