Saiba quem foi Cláudio Murillo Cavalcanti


Nesta edição, o Nossa Folha prossegue com a série de reportagens sobre a vida de líderes de movimentos culturais, sociais e políticos

Última biografia sobre líderes de movimentos culturais, sociais e políticos do Brasil publicada pelo Nossa Folha foi de José Flores de Jesus (Zé Kéti). Nesta edição, é a vez de Cláudio Murillo Cavalcanti, ator, escritor, produtor, diretor e dublador, nascido em 24 de fevereiro de 1940, no Rio de Janeiro.
Iniciou carreira na década de 1950, participando de montagens teatrais amadoras. Em 1956, foi convidado para fazer um teste para a montagem Nossa vida com papai, do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC). A partir de então, começou a fazer diversos trabalhos no teatro e na TV, onde inicialmente participou de teleteatros ao vivo.
Ao longo da carreira, Cavalcanti atuou em diversas novelas, como Irmãos Coragem, A Viagem, O Bofe, Cavalo de Aço, O Feijão e o Sonho, Pai Herói, Dona Xepa, Carinhoso, Roque Santeiro, Maria Maria e Roda Viva, entre outras, tendo no currículo 41 peças, 39 telenovelas e 35 filmes.
Entre 1961 e 1974, fez diversos trabalhos na área da dublagem de séries e filmes para a TV. Ator também esteve no elenco da minissérie Chiquinha Gonzaga e na segunda temporada de Sessão de Terapia, do GNT. Nela, Cláudio Cavalcanti interpretou Otávio, empresário com síndrome do pânico. O ator entrou para o elenco da série a convite do diretor Selton Mello.
Como escritor, tem cinco livros publicados dentre os quais três antologias. Como cantor, foi campeão de vendas como o longplay Claudio Cavalcanti em 1971.
A paixão pelos animais levou o ator a se tornar vegetariano e, em 1975, ingressar na Associação Protetora dos Animais (APA). Entre 2000 e 2008, foi vereador no Rio de Janeiro, defendendo uma política pelos direitos dos animais. Em 2006, foi deputado estadual, na condição de suplente.
Desde 1979, era casado com a atriz Maria Lúcia Frota Cavalcanti, psicóloga e atriz, com quem dividiu o palco inúmeras vezes e compartilhava a paixão e a luta pela defesa dos animais.
Morreu em 29 de setembro de 2013, aos 73 anos de idade, no Rio de Janeiro, após sofrer um choque cardiogênico, que evoluiu para uma insuficiência renal e falência múltipla dos órgãos.