Tabagismo é a principal causa evitável de morte


A pneumologista do Centro Médico São José comentou sobre os diversos malefícios que o hábito de fumar causa à saúde das pessoas

O tabagismo é um dos principais fatores de risco para o surgimento de doenças crônicas não transmissíveis e a causa evitável de morte de número um no mundo todo.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de sete milhões de pessoas morrem, anualmente, em decorrência do consumo de tabaco. A estatística considera tanto quem fuma ativamente quanto quem convive com a pessoa, os chamados fumantes passivos.
A nova médica pneumologista do Centro Médico São José de Cerquilho, dra. Talita Jacon Cezare, especializada na área pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Botucatu, revelou que, no Brasil, mais de 400 pessoas morrem, diariamente, em decorrência de doenças relacionadas ao fumo. “São diversos os malefícios que o hábito de fumar causa à saúde, sendo os principais relacionados a doenças cardíacas coronarianas, como infarto, doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica), doença vascular periférica, acidente vascular cerebral (AVC), câncer de pulmão, de boca, de laringe, bexiga, rim, colo do útero, esôfago, dentre outros”, disse a especialista.
Quem fuma também tem mais chance de contrair infecções do trato respiratório, osteoporose, distúrbios reprodutivos, complicações durante a gravidez, impotência sexual, complicações pós-operatórias, atraso na cicatrização, úlceras gástricas, tuberculose e diabetes. “Além disso, a exposição ao tabaco pode agravar a condição de saúde por potencializar os efeitos negativos de doenças já existentes”, alertou.
Segundo Talita, a boa notícia é que parar de fumar proporciona benefícios à saúde, independentemente da idade. “Ao interromper o hábito, há evidente ganho em expectativa e qualidade de vida. Os riscos de desenvolvimento de problemas cardiovasculares, respiratórios e de câncer vão diminuindo progressivamente, podendo voltar aos níveis de alguém que nunca fumou. Em um ano, o risco de infarto cardíaco no ex-fumante reduz à metade, se comparado a quem ainda fuma. Após cinco anos, as chances de ter derrame cerebral ficam iguais às de quem nunca fumou. Passados 20 anos, o risco de câncer de pulmão também se iguala aos não fumantes”, detalhou a pneumologista.
É pequena a parcela da população que consegue cessar o hábito sem tratamento específico. “Mesmo sendo difícil, não é impossível. Convido a fazer uma tentativa. Ajuda profissional é muito importante”, concluiu Talita.
Em Cerquilho, o Centro Médico São José está instalado na avenida Presidente Washington Luiz, 392, no Centro. Telefone de contato é o (15)3288-4848.