Uso contínuo de lentes pode levar à cegueira


Em pessoas que não fazem a colocação e a retirada diariamente, risco é considerado de 10 a 15 vezes maior

Se você usa lentes de contato sem dar um descanso para os olhos, atenção! As lentes de contato podem substituir os óculos, entretanto, o mau uso, a falta de cuidado com a limpeza ou o uso contínuo (sem tirar nem para dormir) são fatores que contribuem para o desenvolvimento de condições que podem ser graves.
Estima-se que, nos Estados Unidos, cerca de 6% dos 33 milhões de usuários de lentes de contato apresentam problemas oculares todos os anos. No Brasil, não há estatísticas, mas a prática clínica mostra que, por aqui, as complicações também são comuns, de acordo com a oftalmologista Tatiana Nahas.
“Independente do material, forma de uso ou tecnologia, o fato é que a lentes de contato alteram a fisiologia dos olhos. Essas mudanças, no geral, não são importantes. Porém, em certas situações, podem levar a quadros potencialmente graves. Mesmo que a pessoa seja usuária há muitos anos, precisamos levar em conta que há fatores ambientais e físicos”, disse Tatiana.
Entre um dos principais e mais graves problemas relacionados ao uso de lentes de contato está a ceratite bacteriana. “Uso de lentes de contato é o principal fator de risco para o desenvolvimento desta condição. Em pessoas que usam lentes de forma contínua, ou seja, que não fazem a colocação e a retirada diariamente, o risco é de 10 a 15 vezes maior, ou seja: não durma de lentes”, comentou a médica.
Segundo Tatiana, a ceratite pode progredir muito rápido e, quando não tratada, há risco de provocar lesões na córnea que, em casos mais graves, pode levar à diminuição da capacidade visual. Quando isso acontece, o único recurso disponível para recuperar a visão é o transplante de córnea.
A médica explicou que as complicações estão ligadas à falta de higienização, manutenção e bom uso das lentes. “Esses processos previnem a formação de depósitos que provocam desconforto e turvação visual, além de aumentarem o risco de aderências de micro-organismos nas lentes de contato”.
Grande problema de dormir com a lente é que o fechamento das pálpebras durante o sono impacta na falta de oxigenação na córnea, condição que aumenta o risco de adesão de micro-organismos e, consequentemente, de uma infecção.
A ceratite tem sintomas bem específicos. A dor é um deles, pois a córnea é cheia de nervos. Além disso, a pessoa terá uma importante sensibilidade à luz, a visão ficará borrada, podendo ainda apresentar vermelhidão, lacrimejamento e sensação de ter algo grudado nos olhos.
Tratamento da doença é feito com colírios antibióticos e lubrificantes.