Veículos abandonados voltam a ser alvo de reclamações


Veículos estão estacionados na rua André Marcon, ao lado do Posto de Saúde Central

Em Tietê, moradores voltaram a entrar em contato com o Departamento de Jornalismo do Nossa Folha para solicitar providência em relação aos veículos que estão abandonados, há meses, na rua André Marcon, ao lado do Centro de Saúde “Dr. Ruy Silveira Mello”, em Tietê.
De acordo com os reclamantes, os referidos veículos, objetos de leilão, estão acumulando água, o que serve para procriação do mosquito Aedes aegypti. Além disso, o mato alto tem tomado conta da sarjeta, dificultando a limpeza por conta dos veículos.
Reivindicantes querem saber o que a Prefeitura pode fazer em relação a estes carros, uma vez que o problema persiste há meses, prejudicando, assim, a qualidade de vida dos moradores.
Em resposta, a Prefeitura de Tietê, através da Secretaria Municipal de Segurança e Trânsito, informou que tem conhecimento dos veículos que foram deixados em via pública.
Segundo o secretário da pasta, Olavo Luis de Oliveira, os veículos são de uma empresa que passa por processo de falência judicial e já foi notificada pelo Fórum de Tietê para realizar a retirada dos veículos e encaminhar para espaço adequado.
Já a Secretaria Municipal de Saúde e Medicina Preventiva comunicou que está monitorando o local e os veículos para evitar o acúmulo de água e a formação de possíveis criadouros do Aedes aegypti, a fim de proteger a saúde dos munícipes.
Em despacho, a juíza de Direito da Comarca de Tietê, Renata Xavier da Silva Salmaso, solicitou que se oficie as instituições financeiras para que manifestem seu interesse em buscar e apreender o bem dado em garantia ao processo de falência.
CIDADÃO-REPÓRTER – Na rua Rafael de Campos, no Centro de Tietê, uma moradora reclamou, novamente, do uso de lixeiras de forma indevida. Segundo ela, algumas pessoas têm o hábito de colocar lixo na lixeira de outros ao invés de ficar com seu próprio lixo. “É falta de respeito você pegar seu lixo e colocar em frente ou na lixeira do vizinho sem a permissão dele”, comentou.
Ainda de acordo com a moradora, cada um é responsável por seu lixo e seu condicionamento de forma correta. “A pessoa tem a capacidade de sair de sua casa e vir até a minha lixeira para depositar o lixo. Já passou da hora dela se conscientizar que o descarte deve ficar em frente da sua casa”, desabafou.