Encontre seu pai no Poupatempo


Por Ruy Ramos Terra, pai, avô, sogro e cristão

O título deste artigo é uma publicação de um folheto distribuído pelo Governo do Estado de São Paulo através do Poupatempo. A entidade oferece, gratuitamente, a oportunidade a qualquer cidadão de, possivelmente, encontrar seu genitor.
Neste domingo, 11 de agosto, Dia dos Pais, muitos terão a oportunidade de visitar seu verdadeiro papai, seja ele de criação ou biológico, com um abraço, beijo e até um possível presente por tão importante data. Infelizmente, muitos destes pais biológicos já faleceram e os pais de criação assumiram suas responsabilidades com a nova família.
Desse modo, ao cumprir com honra e lisura o compromisso assumido, ele torna-se também um pai respeitável e, mesmo não sendo biológico, é merecedor de todo o nosso carinho e consideração.
Também há mães que se tornaram pais, uma vez que muitos deles abandonaram suas famílias. Essas mães resolveram assumir a formação da família mesmo sem ter marido por questão de falecimento ou por ter deixado o lar.
Por outro lado, ainda existem as mães que abandonaram suas famílias, sendo estas amparadas pelos pais que ficaram. Além disso, hoje, temos muitos pais e mães que se encontram abandonados, residindo nas ruas, internados em asilos ou casas de repouso e não recebem visitas de seus filhos.
Contudo, têm, ainda, os pais que deram infância dourada aos filhos, os acompanharam durante todo o seu crescimento, respeitaram o lar, dando-lhes educação, crescimento e religião. Estes pais, quando possível, levaram seus filhos à porta da escola e faculdade, zelando pela área profissional por eles escolhida.
Entre esses filhos já formados, muitas vezes, em universidades de renome às custas dos pais, existem aqueles que desapareceram do lar, da presença dos pais e mães e, neste Dia dos Pais, se recusam a visitá-los, mesmo morando na mesma cidade.
Independentemente destas situações citadas, vamos comemorar o Dia dos Pais e deixar nas mãos de Deus tudo aquilo que nossos filhos fazem conosco, papais e mamães, responsáveis por terem os colocados no mundo.
O filho diz que seu pai é Deus e sua mãe, Nossa Senhora, porém, mesmo bem formados e ilustrados, desconhecem o conteúdo da Bíblia e os ensinamentos cristãos, dos quais, como pais, somos testemunhas vivas sobre o fatal Dia da Resposta de Deus sobre a ignorância religiosa, pois muitos estão ignorando e maltratando seus pais biológicos ou de honrada criação.

 

Saudades de você!

Por Damana Rodrigues, jornalista e filha

Em 26 de dezembro de 2015, meu amado pai Deraldo Rodrigues partia, aos 63 anos, para sua nova jornada. Passado todo esse tempo, como a saudade é grande e faz morada todos os dias, escrevo para desabafar!
Por mais que eu tenha fé, que eu creia em um reencontro, que eu racionalize esse sentimento todo e me equilibre por aqui sem sua presença, um vazio interno ainda me acompanha.
Não adianta! Em certos momentos, a gente quer ouvir a voz, abraçar, sentir o cheiro daquela pessoa, falar com ela, brigar que seja.
Fato é que a morte é a certeza mais óbvia de nossas vidas, mas também a dor mais duradoura dentre todas. Por irônico consolo, a dor é suportável porque a gente tem que continuar. Porque é isso que quem partiu espera de quem fica, ainda que eles esperem ansiosamente por nós! Pensemos: somos mais fortes que imaginamos! Mas o amor verdadeiro faz isso com a gente. Sempre o amor…
Por isso é que, em nome desse sentimento profundo, eu peço ao meu pai todo dia que ele me ensine a ser mais generosa; que ele me ensine a não guardar mágoas em meu coração e, assim, eu saiba perdoar. Ao meu pai, eu sempre peço que me ensine a usar a sabedoria para não colher a ventania, que cada dia minhas forças estejam renovadas e a minha fé aumentada, que eu não desvie nem use de atalhos por mais duros e espinhosos que sejam meus caminhos.
Sinto saudades de você, pai, não somente neste Dia dos Pais, mas sempre! Por isso, neste domingo, 11 de agosto, deixo meu agradecimento junto a Deus, o Divino Criador, por ter permitido que Deraldo Rodrigues fosse meu pai, o meu melhor exemplo de coragem, justiça e honestidade.