Munícipes denunciam descarte irregular de lixo


Segundo reclamações, locais estão se tornando verdadeiros lixões, um deles é a calçada da Emeb “Zezé Giovanetti”

Situação da calçada da Emeb “Zezé Giovaneti”, gerou preocupação da comunidade do Bertola

Na última semana, munícipes denunciaram ao jornal Nossa Folha, através da coluna Cidadão-Repórter, o descarte irregular de inservíveis em Tietê. Locais estão se tornando verdadeiros lixões e geram consequências diretas na qualidade de vida dos moradores.
Um desses locais é a calçada da Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) “Maria José Giovaneti Polastre (Zezé Giovaneti)”, no bairro Residencial Bertola. Referido espaço está tomado por entulhos, os quais obstruem a mobilidade de alunos, professores, funcionários e comunidade em geral.
O segundo lixão está se formando na Rodovia dr. João José Rodrigues (SP-113), nas proximidades do km 2.
Preocupados quanto à infestação de escorpiões, aranhas e possíveis focos do mosquito da dengue, os reclamantes questionaram a Secretaria de Serviços de Tietê sobre a coleta de materiais, tanto orgânicos quanto inservíveis, e cobraram se este tipo de serviço está ocorrendo normalmente, quando o lixo será recolhido e o que será feito para evitar a formação de pontos de descarte irregular de lixo no município.
As reivindicações foram encaminhadas à Prefeitura de Tietê que, até o fechamento desta edição, não prestou esclarecimentos.
ZONA AZUL – Em Tietê, motoristas cobraram posicionamento da Secretaria Municipal de Trânsito sobre a falta de notificações do sistema rotativo de estacionamento, a chamada Zona Azul.
Segundo esses condutores, os guardas civis municipais (GCMs) não emitem mais a notificação e já procedem a multa, uma vez que, antes, havia um limite de tolerância de 15 minutos.
Desse modo, perguntaram se o limite de tolerância de 15 minutos ainda é válido; porque não se emite mais a notificação; se houve mudança, porque não foi divulgada com antecedência; e quais os pontos de compra do cartão-horário em Tietê.
Este semanário também enviou todos esses questionamentos à Prefeitura de Tietê que, até o fechamento desta edição, não prestou os esclarecimentos.