Rafaela Pereira busca a superação


Rafaela Pereira busca a superação

Rafaela estuda na escola “Lyria de Toledo Pasquali”

Rafaela Pereira é a trigésima oitava entrevistada do jornal Nossa Folha na série especial dedicada aos atletas do handebol, comandados pelos treinadores Fábio Vidotto Beloto e Gustavo Prado.
Conhecida como Rafa, esta tieteense nasceu, em 14 de novembro de 2007, tendo como pais Denise Corrêa Pereira e Alexandre Saroba Pereira e irmão Valdinei José de Camargo Junior.
É aluna da Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) “Professora Lyria de Toledo Pasquali” e, no handebol, atua como armadora e central da categoria Infantil.
Entre os títulos conquistados estão:
2018 – campeã na Liga de Handebol do Estado de São Paulo pela categoria Mirim.
2019 – vice-campeã na Liga de Handebol do Estado de São Paulo pela categoria Mirim.

NOSSA FOLHA – Enquanto atleta, como você se define no handebol?
RAFAELA – Eu me defino como uma atleta determinada, que corre atrás dos seus objetivos em quadra e não desiste de jogada alguma.

NOSSA FOLHA – Como foi seu início? Teve influência?
RAFAELA – Meu início foi por influência de duas amigas. Através dessa oportunidade, tudo começou a crescer.

NOSSA FOLHA – O que você mais ama e mais odeia quando está nas quadras?
RAFAELA – Eu odeio quando me machuco em quadras e quando perdemos algumas jogadas. Por outro lado, eu amo quando alguma estratégia ensinada pelos técnicos dá certo.

NOSSA FOLHA – Quais são os maiores desafios pessoais neste esporte?
RAFAELA – Particularmente, é me superar. Ou seja, ser melhor do que eu fui ontem.

NOSSA FOLHA – Qual é a importância dos treinadores Fábio Vidotto Beloto e Gustavo Prado?
RAFAELA – Toda importância. Sem eles não estaríamos onde estamos hoje.

NOSSA FOLHA – Qual oportunidade o handebol lhe proporcionou?
RAFAELA – De ser uma pessoa melhor.

NOSSA FOLHA – Quais expectativas tem em relação às competições em um cenário pós-pandemia?
RAFAELA – De ser mais valorizada.