Usina Santa Maria completa 66 anos de atividades


Em 1953, no bairro São Francisco, a família Pilon decidiu fundar a J. Pilon S. A. Açúcar e Álcool e, desde então, os negócios só prosperaram

Maio é um mês marcante para a Usina Santa Maria, localizada no bairro São Francisco, em Cerquilho. Motivo é o aniversário de fundação. Neste ano, são 66 anos de atividades. “Nestas mais de seis décadas, o mais importante foi a união”, disse José Pilon, presidente do grupo J. Pilon Açúcar e Álcool e um dos principais responsáveis pelo reconhecido desempenho da usina.
Além dos negócios que envolvem o setor de açúcar e álcool neste período, o grupo passou a diversificar suas atividades e a investir também em plantio de soja e milho, pecuária bovina, produção de plásticos, setor petroquímico, entre outros. Desse modo, o agronegócio e as indústrias que representam os investimentos da família abriram caminho para um faturamento diversificado.
De acordo com José Pilon, o motivo da diversificação foi a falta de possibilidade de aumentar a produção de cana-de-açúcar na região de Cerquilho pela própria limitação geográfica. “Do passado aos dias atuais e diante das novas tecnologias, a Usina Santa Maria progrediu, prosperou, gerou empregos e, hoje, é um dos nossos orgulhos”, reforçou o presidente do grupo.
HISTÓRIA – Os primeiros negócios da família Pilon, em Cerquilho, surgiram com um alambique de aguardente em 1939. A partir daí, os investimentos cresceram e, assim, surgiam as ideias de expansão para produtos com maior valor agregado.
Em 1953, a família decidiu entrar no negócio de açúcar e álcool e fundou a Usina Santa Maria. Na época, segundo José Pilon, os fornecedores e demais incentivadores colaboraram com os resultados, pois permitiram produção de açúcar com prazo dilatado e oferta de compra de equipamentos com pagamento estendido.
No início, a produção era clandestina porque a usina não tinha autorização do Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA), autarquia responsável pela produção e exportação sucroalcooleira – para a produção. Dois anos mais tarde, a empresa cerquilhense adquiriu autorização para a venda. Já a produção de álcool começou em 1975, época do início do Proálcool.
Além de presidente do grupo, José Pilon tem forte atuação política. Já foi secretário de Agricultura de São Paulo e presidente da Cia. de Entrepostos e Armazéns Gerais do Estado de São Paulo (Ceagesp). Assim como foi prefeito e presidente da Câmara de Cerquilho, além de presidente da Unica, entidade dos produtores.
Além de José Pilon, a família também gerou políticos, como João Pilon, Otávio Pilon Filho (Tavinho) e Paulo Roberto Pilon (Du), como prefeitos, e Nelson Pilon e José Roberto, como presidentes da Câmara de Cerquilho.